Notícias


Construction Expo 2013 torna-se a principal vitrine das modernas tecnologias para obras de infraestrutura e edificações


A Construction Expo 2013 – 2ª Feira Internacional de Edificações e Obras de Infraestrutura, de 5 a 8 de junho, em São Paulo, atendeu as expectativas dos promotores, entidades parcerias e expositores. No total, foram 21.807 visitantes, sendo a maioria altamente qualificada, incluindo empresários, gestores, decisores de compra e engenheiros responsáveis por edificações e obras de infraestrutura. Em termos de empresas participantes, a feira contou com 332 expositores, sendo 259 nacionais e 73 internacionais, vindos de 15 países – Argentina, Canadá, Chile, China, Colômbia, Coreia do Sul, Espanha, Estados Unidos, França, Índia, Inglaterra, Itália, Peru, Polônia e Portugal, que contabilizaram muitos negócios durante os quatro dias de evento.

A construção brasileira esteve em destaque na Construction Expo 2013, que retratou o avanço tecnológico dos sistemas construtivos, a excelência em métodos construtivos aplicados nas obras no País e a evolução de toda a cadeia do segmento.

Na feira, foi possível conhecer uma variedade de produtos inovadores para os diversos segmentos da construção, desde geradores solares fotovoltaicos e aeólicos de última geração, passando por sistemas de reciclagem de esgoto e efluentes com capacidade para purificar até 6.000 litros de água contaminada por hora, tubos de Polietileno de Alta Densidade (PEAD) de grande diâmetro para drenagem pluvial, sistema construtivo para obras de contenção de taludes, encostas, proteção de margem, proteção costeira e canalização de córregos, resinas hidroativas utilizadas para contenção emergencial de vazamentos de água, novas soluções para canteiros de obras, módulos habitacionais, sanitários hidráulicos, tecnologia de última geração para reutilizar, reciclar e flocular a lama bentonítica nas estacas escavadas, barretes e paredes diafragma, geossintéticos, plataformas móveis, formas, escoramentos, entre muitos outros.

“Esses exemplos ratificam o papel da Construction Expo 2013 como uma vitrine de exposição de inovações e de avançadas tecnologias em materiais, produtos e serviços para o setor da construção, fomentando, dessa maneira, o desenvolvimento tecnológico do segmento”, afirma Afonso Mamede, presidente da Sobratema – Associação Brasileira de Tecnologia para Construção e Mineração, idealizadora e promotora da feira.

Para atingir esse resultado, Mamede enfatiza o arco de alianças do evento, que contou com o apoio de 135 das mais relevantes entidades dos diversos setores da construção, e o apoio das principais construtoras brasileiras. “A representatividade das entidades e das construtoras foi importante para que a Construction Expo 2013 alcançasse não apenas um alto nível de excelência, mas também obtivesse o reconhecimento das cadeias de negócios do Construbusiness”, explica. “No caso das construtoras, cada uma escolheu duas obras emblemáticas para serem expostas no Salão Construindo Desafios, o que ressaltou a evolução tecnológica da engenharia brasileira”, acrescenta.

Realidade da construção brasileira

Além de ser uma vitrine tecnológica, a Construction Expo 2013 reproduziu a realidade da construção brasileira ao apresentar dois tipos de Salões Temáticos: os Salões das Grandes Construções, que mostraram, em detalhes, os desafios, as soluções e diversas fases de importantes e grandiosas obras que estão sendo contruídas pelo País, e os Salões dos Sistemas Construtivos, que apresentaram o desenvolvimento tecnológico e os benefícios de novos métodos construtivos utilizados nas construções em todo o Brasil.

Os Salões das Grandes Construções foram compostos por notáveis obra como a Arena Corinthians, Linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro, Porto Maravilha e Prosub – Programa de Desenvolvimento de Submarinos, além das obras expostas no Salão Construindo Desafios. “Trouxemos importantes empreendimentos que estão sendo executados pelo País para que o público tivesse uma visão ampla da complexidade e dos desafios que envolvem grandes obras”, enfatiza Mamede. “Outra questão importante era mostrar ao visitante como os produtos, os serviços, os materiais, as novas tecnologias e os sistemas construtivos se encaixam na execução de cada projeto”, completa.

A opinião dos consórcios, concessionárias e construtoras envolvidas em cada projeto e que foram expostas nos Salões das Grandes Construções foi unânime ao afirmar que a iniciativa de reunir, em um único local, obras tão significativas foi pioneira e relevante para enfatizar o nível de evoução da construção nacional e das soluções criativas e inovadoras encontradas pelas empresas, atraindo o interesse do visitante e da sociedade em geral.

Para Mário Humberto Marques, vice-presidente da Sobratema, cada obra tem sua peculiaridade e as empresas de engenharia do Brasil possuem recursos e capacidade para se adaptar e encontrar a solução adequada para diferentes tipos de necessidade. “Por isso, a Construction Expo 2013 trouxe obras tão diferentes e, ao mesmo tempo, tão importantes”, ressalta.

Além disso, segundo Marques, a feira foi promovida em um momento bastante diferenciado em decorrência dos investimentos bilionários anunciados na área de infraestrutura, que têm o objetivo de reduzir os gargalos do “custo Brasil” e, com isso, melhorar a competitividade nacional. “Nossa pesquisa de investimentos mostra que até 2017, devem ser iniciados, estar em andamento ou ser concluídos cerca de 8.500 obras e projetos com valor estimado de R$ 1,26 trilhão, nos 26 Estados e no Distrito Federal”, avalia.


Sistemas Construtivos e Rental

Os Salões dos Sistemas Construtivos foram formados pelo Salão da Construção Seca, que apresentou as vantagens competitivas do drywall e do light steel framing, o Salão ABCIC da Construção Industrializada do Concreto, que ressaltou a contribuição e a importância da indústria de pré-fabricado para a modernização e a evolução da construção civil brasileira, e o Salão do Rental, que mostrou a importância desse setor.

Os expositores do Salão da Construção Seca avaliaram sua participação de forma positiva, uma vez que o mercado cresceu e se desenvolveu muito nos últimos dez anos e o conceito e a proposta de ter um espaço exclusivo desse sistema construtivo em uma feira como a Construction Expo são muito bons.

Para Íria Doniak, presidente executiva da ABCIC – Associação Brasileira de Construção Industrializada de Concreto o Salão da Construção Industrializada do Concreto, juntamente com o curso, o seminário e a visita técnica promovidos pela entidade, cumpriu seu papel de levar informação qualificada ao visitante da Construction Expo 2013. “Todas as ações estiveram alinhadas com a proposta da Sobratema, de criar um novo conceito de feira, baseado em tecnologia, em sistemas construtivos e voltado para um público mais técnico”, diz.

No caso do setor do Rental, além do Salão, houve também o I Congresso de Valorização do Rental, no Construction Congresso. “Foi uma iniciativa pioneira em reunir toda a cadeia do rental, incluindo empresas e entidades, em um único local, em uma exposição que apresenta tecnologias para a construção”, afirma Eurimilson Daniel, vice-presidente da Sobratema.

“O segmento de locação sofreu um desgaste ao longo dos anos em decorrência de seu crescimento desorganizado, provocado, principalmente, pela entrada de muitas empresas no mercado. Por isso, era importante que as empresas de locação se reunissem, discutissem e encontrassem soluções que beneficiem toda a nossa cadeia de negócios”, complementa Daniel.

Informações: www.constructionexpo.com.br

Construction Congresso

Paralelamente à Construction Expo 2013, aconteceu o Construction Congresso, de 5 a 7 de junho. Com uma programação completa, incluindo 31 seminários e um curso, promovidos por 29 instituições, o evento teve como objetivo debater os principais assuntos que norteiam a cadeia da construção.

De acordo com Afonso Mamede, presidente da Sobratema, o Construction Congresso foi uma oportunidade única para engenheiros, empresários, técnicos e profissionais ampliarem seu conhecimento e atualizarem informações em assuntos técnicos e mercadológicos, contribuindo, assim, para o enriquecimento de sua experiência profissional.

O Congresso contou com a participação de 1.397 profissionais. A Sobratema promoveu dois seminários. O primeiro sobre Sustentabilidade e Gestão Público-Privada e o segundo sobre Mercado Brasileiro de Equipamentos para Construção.

As entidades participantes foram: ABAG – Associação Brasileira do Agronegócio, ABAL – Associação Brasileira do Alumínio, ABECE – Associação Brasileira de Engenharia e Consultoria Estrutural, ABCEM – Associação Brasileira da Construção Metálica, ABCIC – Associação Brasileira da Construção Industrializada de Concreto, ABENDI – Associação Brasileira de Ensaios Não Destrutivos e Inspeção, ABIFER – Associação Brasileira da Indústria Ferroviária, ABRASFE – Associação Brasileira das Empresas de Formas e Escoramentos, ADIMACO – Associação Nacional dos Distribuidores e Instaladores de Material de Construção a Seco, ANICER – Associação Nacional da Indústria Cerâmica, ANPTrilhos – Associação Nacional de Transportadores de Passageiros sobre Trilhos, APROMIN – Associação Brasileira para o Progresso da Mineração, CBCA - Centro Brasileiro da Construção em Aço, CBT – Comitê Brasileiro de Túneis, Fundação Carlos Alberto Vanzolini, IABr - Instituto Aço Brasil, IBEC – Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos, IBRACON – Instituto Brasileiro do Concreto, ICZ – Instituto de Metais Não-Ferrosos, IE – Instituto de Engenharia, SINDIPEDRAS – Sindicato da Indústria de Mineração de Pedra Britada do Estado de São Paulo e SINDIPESA – Sindicato Nacional das Empresas de Transporte e Movimentação de Cargas Pesadas e Excepcionais.



Fonte: Mecânica de Comunicação Ltda.
Publicada em:: 12/06/2013

    

Eventos

Fotos dos Eventos

Confira as fotos dos últimos eventos